VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 483-494

EVOLUÇÃO DAS TAXAS DE VACINAÇÃO CONTRA BRUCELOSE BOVINA SEGUNDO AS ÁREAS DE RISCO PARA FEBRE AFTOSA NO ESTADO DO PARÁ

Nobre, Andrea FerreiraNeto, Susiclay BarrosGalindo, Glaucio Antonio da RochaRodrigues, Flávia da CunhaGirardeli, Giovani LuidyAlves, Ana Julia Silva eMarinho, MárciaQueiroz, Luzia Helena

Foi investigada a evolução das taxas de vacinação contra brucelose, estabelecida peloPrograma Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT)segundo as áreas de risco delimitadas para o Estado pelo Programa Nacional de Erradicaçãoda Febre Aftosa (PNEFA) no Estado do Pará. Utilizaram-se os dados de vacinação dorebanho bovino nos anos de 2008 a 2011 da Agência de Defesa Agropecuária do Pará. Em2008 as taxas de vacinação média de brucelose nas áreas livre de febre aftosa com vacinação(área 1), de médio (área 2) e alto risco (área 3) foram de 36,3%, 25,3% e 22,5%,respectivamente. No ano de 2011, estes valores aumentaram, com médias de 61,7%, 50,9% e48,3% respectivamente, sem diferirem estatisticamente. A porcentagem de municípios da área1, com taxa de vacinação acima de 80%, apresentou aumento de 5,1 vezes de 2008 para 2011,enquanto a área 2 teve aumento de oito vezes e a área 3 foi de 0% para 28%. Os resultadossugerem que o aumento das taxas de vacinação contra brucelose bovina no Pará pode ter sidoinfluenciado pela mudança na classificação de risco para Febre Aftosa em 2010.

Texto completo