VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 272-284

Aspectos da infecção por Anaplasma marginale em bovinos experimentalmente infectados

Lopes, Welber Daniel ZanettiMartins, João Ricardo de SouzaCosta, Alvimar JoséBrasilnicasteloTeixeira, Weslen FabricioCruz, Breno CayeiroMaciel, WillianFelippelli, GustavoCarvalho, Rafael Silveira

O presente trabalho teve como objetivo, avaliar os aspectos clínicos, hematológicos, parasitológicos, bem como a eficácia da oxitetraciclina longa ação, contra Anaplasma marginale, em bovinos experimentalmente infectados. Seis animais soronegativos foram obtidos pela RIFI. No dia 9 do estudo, três animais foram esplenectomizados, e no dia zero, os seis bovinos foram inoculados com aproximadamente 1x106 hemácias parasitadas por Anaplasma marginale. A temperatura retal foi aferida do 1º ao 35º dia pós-inoculação (DPI). Já o volume globular (VG - microhematócrito) e o cálculo da parasitemia, foram obtidos do 10º ao 35º DPI. Os animais receberam tratamento específico (oxitetraciclina LA), quando apresentaram, inicialmente, hipertermia (> = 39,2ºC) e parasitemia > = 2,0%, e receberiam novos tratamentos, até ocorrer estabilização clínica e parasitológica do animal. Analisando os resultados, verifica-se que no 21º DPI a parasitemia foi presente nos seis animais, neste mesmo dia, iniciou o decréscimo no VG dos animais. A temperatura retal dos bovinos atingiu picos febris > = 39,2, a partir do 23º DPI, dia este em que a parasitemia encontrava-se em ascensão. De um modo geral, o tratamento específico contra A. marginale, precisou ser realizado cerca de três dias após o hemoparasita ter sido identificado na corrente sanguínea periférica dos animais. Os animais tiveram de receber de um a quatro [...](AU)

Texto completo