VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 64-76

Sepse em felinos

Chacar, Fernanda ChicharoGuimarães-Okamoto, Priscylla Tatiana ChalfunMelchert, AlessandraArruda, Vanesa Kutz deBento, Daniel DiolaCosta, Denis Carvalho

Sepse, definida pela síndrome da resposta inflamatória sistêmica (SRIS) secundária a um agente infeccioso, é uma afecção comum em felinos e está relacionada a altos índices de morbidade e mortalidade nesta espécie. Suas principais causas em gatos são piotórax e peritonite séptica. Devido às suas peculiaridades anatomofisiológicas, os felinos reagem de maneira singular a sepse, apresentando bradicardia, hipotensão e hipotermia, sinais que compõem a “tríade da morte dos felinos”. Os principais mediadores inflamatórios da sepse nesta espécie são TNF, IL-10, IL-6 e CXCL-8. O diagnóstico de sepse ou sepse grave é baseado principalmente nos achados clínicos. O tratamento desta síndrome na espécie felina deve ser baseado na técnica de “Terapia guiada por metas” (Goal-directed-therapy), que envolve o manejo e monitoramento intensivo da hemodinâmica em pacientes de alto risco. Embora a sepse cause altos índices de morbimortalidade em felinos, poucos estudos a cerca de sua etiologia, fisiopatologia, alterações hemodinâmicas e metabólicas estão disponíveis. Maiores esforços da comunidade veterinária são necessários para a compreensão desta complexa síndrome em gatos, pelas suas peculiaridades e o aumento da casuística destes animais no Brasil nos últimos tempos.(AU)

Texto completo