VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 3767-3776

Modelagem matemática do controle da brucelose bovina com a utilização da vacina RB51

Aparecida Feijó de Souza, VanessaSoares Ferreira Neto, JoséAmaku, MarcosAugusto Dias, RicardoOliveira Telles, EveliseHenrique Hildebrand Grisi-Filho, JoséBryan Heinemann, MarcosFerreira, Fernando

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento brasileiro instituiu o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose Animal em 2001. Uma das principais medidas adotadas pelo programa é a vacinação obrigatória de fêmeas entre três e oito meses de idade com a cepa B19. Em 2007, o Brasil permitiu a utilização da vacina RB51 em fêmeas bovinas com mais de 8 anos de idade como uma opção para o produtor, porém manteve como vacina obrigatória a B19 em bezerras de 3 a 8 meses de idade. Essa decisão parte do princípio de que combinando as duas vacinas abrevia-se o tempo para a obtenção de coberturas vacinais expressivas na população de fêmeas em idade de procriar e, consequentemente, acelera-se a velocidade de queda da prevalência. Assim, o presente estudo objetivou medir o impacto do uso combinado dessas duas vacinas na redução da prevalência, utilizando como instrumento a modelagem matemática. Concluiu-se que a vacinação pela RB51, se adotada de forma complementar à vacinação pela B19, significaria queda da prevalência da brucelose bovina em menor intervalo de tempo.

Texto completo