VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 827-838

Medidas ecocardiográficas de cavalos de tração da região metropolitana de Curitiba-PR

Turner Giannico, AmáliaTriches Dornbusch, PetersonMontiani-Ferreira, FabianoRoque Barros Filho, IvanDeconto, IvanTostes Oliveira, Simone

 Para manter o desempenho dos cavalos durante o exercício físico o coração se adapta às variações das atividades metabólicas, o que resulta em adaptações do músculo cardíaco. Desta maneira, o uso da ecocardiografia permite avaliar possíveis adaptações cardíacas e falhas no bombeamento sanguíneo. Pouco se sabe sobre alterações ecocardiográficas em cavalos de tração de materiais recicláveis, que puxam carroças, cujas condições gerais de saúde e manejo quase sempre são inadequadas para o tipo de exercício físico ao qual são submetidos. Objetivou-se estabelecer valores ecocardiográficos para cavalos de carroceiros. Dezenove cavalos sem raça definida foram submetidos ao exame ecocardiográfico, e valores da distância do ponto E (maior abertura da valva mitral) ao septo interventricular; diâmetro da cavidade do ventrículo esquerdo; espessura do septo interventricular e espessura da parede livre do ventrículo esquerdo durante a sístole e diástole; fração de encurtamento e ejeção foram obtidos pelo modo-M. No modo bidimensional foram avaliados o diâmetro da valva aórtica e átrio esquerdo, além de sua relação. Foram avaliadas as velocidades do fluxo de sangue na artéria pulmonar e aorta e valva mitral por meio do Doppler pulsado e/ou contínuo, além de detectar possíveis refluxos por meio do Doppler colorido. Neste estudo ficam estabelecidos os valores médios dos parâmetros ecocardiográfi

Texto completo