VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 3401-3414

Urucum em dietas para alevinos de kinguios Carassius auratus: desempenho produtivo e pigmentação da pele

Maico Fries, EdioneiCorreia Bittarello, AlisZaminhan, MicheliSignor, AltevirFeiden, AldiRogério Boscolo, Wilson

O presente trabalho avaliou a influência da adição de urucum como agente pigmentante sobre as características de coloração da pele, músculo e desempenho produtivo de Carassius auratus, criados em hapas de 0,15 m3 (dimensões de 0,50 x 0,50 x 0,65 m), dispostos no interior de um tanque de alvenaria circular de 25 m3. Foram utilizados 336 alevinos de C. auratus distribuídos inteiramente ao acaso em 28 hapas, com sete tratamentos e quatro repetições, com 12 peixes por unidade. Os níveis de adição de urucum foram 0,0; 0,25; 0,50; 1,00; 2,00; 4,00 e 8,00%. Os peixes com peso inicial médio de 1,12 ± 0,18 g e comprimento de 4,31 ± 0,44 cm, foram alimentados as 08, 11, 14 e 17 horas. A característica colorimétrica de b* (amarelo) mostrou valores significativos aos 96 e 141 dias no sistema de coordenadas Hunter com adição de 2,0 e 1,0% de urucum na dieta, respectivamente e, no sistema de coordenadas CMYK aos 96 dias para C (ciano) e aos 141 dias para Y (amarelo) com adição de 8,0 e 2,0% de urucum na dieta respectivamente. Observaram-se diferenças (P 0,05) para peso final médio, ganho em peso médio, conversão alimentar aparente, taxa de crescimento diário e eficiência alimentar. Recomenda-se uma dieta contendo 1,0% de adição de urucum para C. auratus para o melhor desempenho e de 1,0 a 4,0% de adição de urucum para intensificação luminosa da pele dos peixes.

Texto completo