VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 3221-3230

Estudo sorológico da brucelose e leptospirose em equídeos da ilha de Maiandeua (Algodoal) no Estado do Pará

Paula Vilhena Beckman Pinho, AnaBianca Santos Kuroda, RoselyArruda Vasconcellos, SilvioSoares Ferreira Neto, JoséOssada, RaulAparecida Feijó de Souza, Vanessade Souza Rocha, KatarineSouza da Paz, GiselleCristina Guimarães de Moraes, Carla

O objetivo do estudo foi avaliar o perfil soroepidemiológico da brucelose e leptospirose em eqüídeos de tração da ilha de Maiandeua, estado do Pará. Em dois períodos distintos, foram colhidas amostras sanguíneas de 52 animais, de ambos os sexos e diferentes idades (2 a 17 anos), totalizando 104 amostras. Para a pesquisa de anticorpo anti-Brucella lisa foi utilizado o teste de soroaglutinação rápida em placa. Na primeira colheita, nenhum animal foi reagente, entretanto na segunda colheita houve três animais sororeagentes. A pesquisa de anticorpos anti-Leptospira spp. foi efetuada com o emprego da técnica de soroaglutinação microscópica (SAM), na primeira colheita houve 23,07% animais reagentes e 15,38% na segunda colheita, para um ou mais sorovares de Leptospira spp. com títulos variando de 100 a 200. O sorovar predominante na primeira e segunda colheita foi o Autumnalis com 40% e 37,5% respectivamente. De acordo com a idade, observou-se no grupo 1 (2 a 7 anos) 27,78% e 13,89% nas duas colheitas respectivamente e no grupo 2 (> 7 anos) encontrou-se 12,50% e 18,75% de sororeagentes. Os resultados observados no presente estudo demonstraram que na ilha de Maiandeua, estado do Pará, existe a presença de infecção por Leptospira spp, com o sorovar Autumnalis, o mais frequente, e possível exposição dos animais a Brucela lisa, sugerindo risco baixo de infecção na população de equinos

Texto completo