VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

Sequências de lisina digestível para suínos de duas linhagens selecionadas para alta deposição de carne

Ianino Fortes, EduardoLopes Donzele, JuarezFlávia Miranda Oliveira, RitaSaraiva, AlyssonCarlos de Oliveira Silva, FranciscoFaria Souza, Matheus

Foi conduzido um experimento para avaliar sequências de lisina digestível sobre o desempenho e características de carcaça de suínos machos castrados. Foram utilizados 96 animais de duas linhagens selecionadas para deposição de carne, com peso inicial de 23,80 ± 1,07kg. Os suínos foram distribuídos em um delineamento experimental de blocos ao acaso, em um esquema fatorial 4 x 2 (quatro sequências de lisina digestível e duas linhagens), com seis repetições e dois animais por unidade experimental. Os tratamentos corresponderam às seguintes sequências de lisina digestível: S1 = 0,80 - 0,70 - 0,60%; S2 = 0,90 - 0,80 - 0,70%; S3 = 1,00 - 0,90 - 0,80% e S4 = 1,10 - 1,00 - 0,90%, fornecidos respectivamente nas fases de 63 a 103; 104 a 133 e de 134 a 163 dias de idade. Não houve interação entre as sequências de lisina e linhagem. Os tratamentos não influenciaram o desempenho (ganho de peso diário, consumo de ração diário e conversão alimentar) e as características de carcaça (espessura de toucinho e quantidade de carne). O consumo diário de lisina digestível aumentou de forma linear com o aumento dos níveis de lisina digestível. A sequência de lisina digestível S1 (0,80; 0,70 e 0,60%) atende as exigências para desempenho e características de carcaça.

Texto completo