VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

Genetic diversity of Ehrlichia canisstrains from naturally infected dogs in Rio de Janeiro, Brazil

Fernandes Ferreira, Renatade Mello Figueiredo Cerqueira, AloysioXavier de Castro, Tatianade Oliveira Ferreira, ElianePiedade Gonçalves Neves, FelipeVictor Barbosa, Andréde Barros Macieira, DanielNádia Nádia Nádia Nádia Nádia

O objetivo deste estudo foi caracterizar as cepas de Ehrlichia canis em cães naturalmente infectados no Rio de Janeiro, Brasil. Além disso, os achados clínicos e hematológicos observados nos cães foram relatados. O gene 16S rRNA foi utilizado como alvo da PCR para fins diagnósticos, e os genes TRP19 e TRP36 para avaliar a diversidade genética. Quinze amostras foram positivas para E. canis. PCR para o gene TRP19 produziu 11 amplicons (11/15) que foram clonados no pGEM-T easy vector para sequenciamento. A comparação das sequências completas do gene TRP19 com outras sequências depositadas no GenBank revelou uma alta identidade. Duas amostras (56C e 70C) após o ensaio da PCR, tendo como alvo o gene TRP36, geraram sequências, e a análise filogenética mostrou que a cepa 56C foi agrupada com a cepa Cuiabá 16, que é uma cepa híbrida, formada pelo genogrupo Brasileiro e o genogrupo US; e a cepa 70C agrupou com as outras cepas do genogrupo US, sugerindo a existência de pelo menos dois genogrupos de E. canis no Rio de Janeiro (US e Brasileiro). Esses animais apresentaram manifestações clínicas e hematológicas distintas, e diferentes genótipos podem expressar novos fenótipos, resultando em diferentes formas de apresentação da doença e fazendo com que o diagnóstico seja mais complexo.

Texto completo