VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

Sucesso reprodutivo de Trypoxylon (Trypargilum) lactitarse (Hymenoptera: Crabronidae) em uma paisagem fragmentada

Oliveira, Grayce Kelly CostaElias, Marcos Antonio da SilvaBergamini, Leonardo LimaFranceschinelli, Edivani Villaron

A fragmentação das vegetações nativas muitas vezes implica na redução da riqueza e abundância local de espécies. Nos ambientes fragmentados, os recursos para alimentação e nidificação de abelhas e vespas estão distribuídos de forma bastante irregular, influenciando no comportamento de forrageamento, padrão de ocorrência e no sucesso reprodutivo desses organismos. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi verificar se o tamanho das áreas de remanescentes de vegetação nativa interfere no sucesso reprodutivo de uma espécie de vespa solitária Trypoxylon (Trypargilum) lactitarse Saussure, 1867. Para tanto, estabelecemos ninhos armadilha nas bordas de fragmentos de mata de tamanhos diferentes localizados em munícipios da região central do estado de Goiás, Brasil. Estes ninhos foram utilizados como ferramenta de quantificação de taxa de nidificação, de número médio de células com larvas, sobrevivência destas larvas e tamanho dos adultos eclodidos. Neste trabalho, a taxa de fundação dos ninhos armadilhas foi maior nos fragmentos maiores. O número médio de células por ninhos, a taxa de sobrevivência das larvas, proporção de ninhos atacados por parasitoides, e o tamanho dos adultos eclodidos não diferiram entre as áreas grandes e pequenas. Existem duas explicações possíveis para a diferença na taxa de fundação: 1) cada fêmea funda, em média, o mesmo número de ninhos em fragmentos pequenos e grandes, mas o número de fêmeas é menor nos fragmentos menores; 2) as fêmeas têm a capacidade de prover vários ninhos, mas nas áreas maiores, cada fêmea funda mais ninhos do que em áreas menores. No entanto, são necessários estudos futuros para diferenciar essas duas hipóteses. É provável que o tamanho dos fragmentos possa estar influenciando mais na sobrevivência e na permanência dos adultos do que na das larvas.(AU)

Texto completo