VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 13-13

Complexo gengivite-estomatite-faringite felina: Relato de caso

Rios, Otavio Luiz CardosoMelo, Mariana Rivelo Rodrigues dePacó, Thays RibeiroSerra, Vivian AliceEscodro, Pierre BarnabéNotomi, Marcia KikuyoNunes, Annelise Castanha Tenório Barreto

O Complexo Gengivite Estomatite Faringite Felina (CGEFF) é uma se- vera doença inflamatória da cavidade oral, de etiologia desconhecida, evolução crônica e de dificil tratamento. Caracteriza-se por lesões hiperêmicas, prolife- rativas e ulcerativas localizadas, preferencialmente na região dos arcos glos- sopalatinos (fauces), estendendo-se pela cavidade oral. O diagnóstico é confir- mado pela observação de infiltrado inflamatório com predominio de linfócitos e plasmócitos, através do exame histopatológico. Na terapia é recomendado o tratamento periodontal, extrações dentárias, antibioticoterapia e/ou imunossu- pressão, porém sua reposta é variável podendo a evolução ser incompleta el ou transitória. O caso clínico descrito relata um felino, macho, de quatro anos, SRD, não castrado, com histórico de sialorreia, halitose e hiporexia, há três semanas. Ao exame fisico, observou-se aumento de linfonodos mandibulares e lesões eritematosas, proliferativas e ulcerativas em região de arco glossopalati- no. Para a confirmação do diagnóstico, o animal foi submetido a uma biopsia e no resultando do exame histopatológico foi verificada uma acentuada resposta inflamatória com infiltração celular predominantemente de linfócitos e plasmó- citos, confirmando o CGEFF. Inicialmente, introduziu-se o tratamento de amo- xicilina com metronidazol e clorexidine 2,5%, solução oral, durante 15 dias, obtendo-se a melhora dos sinais clínicos, porém após a interrupção do trata- mento, a lesão retornou ao seu estado original. Este comportamento também foi observado diante da associação de amoxicilina e clavulanato com metronida- zol. Diante do fracasso no tratamento clínico, o paciente foi encaminhado para procedimento cirúrgico para a extração extensa de todos os dentes pré-molares e molares e ainda se encontra em recuperação. O tratamento clínico foi pouco efetivo e o adiamento do procedimento cirúrgico agravou a perda de peso, além de frustrar o proprietário diante das recidivas do problema, novas formas de tratamento menos invasivas e mais eficazes devem ser estudadas para CGEFF.(AU)

Texto completo