VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

Estimation of optimum experimental plot size for taro culture

Silva, Willerson Custódio daPuiatti, MárioCecon, Paulo RobertoMacedo, Leandro Roberto deSediyama, Tocio

RESUMO: O taro é uma hortaliça tuberosa tropical que produz cormelos de elevado valor nutritivo e energético. Nos últimos anos seu cultivo tem-se expandido gerando a necessidade de mais informações da pesquisa. Todavia, na pesquisa científica, o tamanho da parcela experimental interfere diretamente na precisão do experimento. Para determinação do tamanho ótimo de parcela, vários métodos têm sido relatados na literatura. O objetivo deste trabalho foi estimar o tamanho ótimo de parcela experimental para a cultura do taro utilizando o Método da Máxima Curvatura Modificado. O experimento foi conduzido a campo, na horta do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa, no período de setembro/2011 a junho/2012, com taro Japonês. Foram plantadas 22 fileiras com 20 plantas cada, no espaçamento de 1,0 x 0,3 m, considerando-se como área útil as 20 fileiras centrais com 18 plantas cada, totalizando 360 plantas. Cada planta correspondeu a Unidade Básica (UB). Feito os possíveis agrupamentos, formaram-se 23 diferentes tamanhos de parcelas. Na colheita avaliaram-se as características massa fresca dos cormelos grande, médio e comerciáveis. Os tamanhos ótimos de parcelas encontrados foram de: 8,77 UB para os cormelos comerciáveis; 14,75 UB para os cormelos grandes e de 13,37 UB para cormelos médios. Dentre os tamanhos das parcelas estimados neste trabalho, de forma a aumentar a precisão experimental em experimentos realizados com taro, sugere-se adotar parcelas formadas por 15 UB, o que corresponde a uma área de 4,5 m2.

Texto completo