VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 760-766

Controle químico e biológico da podridão branca da haste na cultura da soja

Sumida, Ciro HidekiCanteri, Marcelo GiovanettiPeitl, Douglas CasarotoTibolla, FabianaOrsini, Idenize PedrinaAraújo, Felipe AndréChagas, Débora FonsecaCalvos, Natália Sanches

Avaliaram-se o efeito de fungicidas e agente de controle biológico Trichoderma harzianum na inibição da germinação carpogênica e de ascósporos de Sclerotinia sclerotiorum. Também foram avaliados os controles químico e biológico do mofo branco ou podridão branca da haste na cultura da soja em condições de campo. Foram desenvolvidos três ensaios, sendo: 1) inibição da germinação carpogênica; 2) inibição da germinação de ascósporos; e 3) controle da podridão branca da haste na cultura da soja em condições de campo. Os tratamentos avaliados foram fluazinam, procimidona, iprodione, tiofanato metílico, carbendazim, cloreto de benzalcônio + fluazinam e T. harzianum. O procimidona resultou em inibição de 13,5% e o cloreto de benzalcônio + fluazinam em 13,9% de inibição no teste de inibição da germinação dos ascósporos. Fluazinam e procimidona foram os mais eficientes na redução da produção de ascósporos/apotécio representando 65,6% e 82,4% de inibição. O procimidona e fluazinam se combinados com cloreto de benzalcônio ou não foram os mais eficientes no controle da podridão branca da haste em condições de campo, quando aplicados no início do florescimento e 15 dias após. Na safra 2009-10, esses dois fungicidas reduziram a incidência da podridão branca da haste, em 73,1 e 71,6% e, na safra 2010-11, reduziram em 75,7 e 77,6%, respectivamente.(AU)

Texto completo