VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

Correlação entre ruptura de ligamento cruzado cranial e lesão de meniscomedial em cães

dos Santos Dal-Bó, ÍsisRicardo Auada Ferrigno, CássioFabiana Izquierdo Caquías, DanielaIshimoto Della Nina, MarcosPoletto Ferreira, MárcioValente de Figueiredo, AdrianaAlbuquerque de Oliveira Cavalcanti, RenatoFrança do Santos, JaquelineCouto de Magalhães Ferraz, Vanessa

O presente trabalho correlacionou o tempo de ruptura do ligamento cruzado cranial (RLCCr) à lesão em menisco medial e ao tipo de lesão observada em cães tratados por estabilização dinâmica (osteotomias) ou estática (sutura fabelo-tibial). Este estudo retrospectivo avaliou os registros de 104 cães (117 joelhos). As osteotomias foram realizadas em 98 articulações, a sutura fabelo-tibial em 15 joelhos e, em 4 joelhos, foi realizada apenas artrotomia exploratória. A média de idade foi 4,5 anos, 41% dos cães eram machos e 59%, fêmeas e a média da massa corporal foi 32,7kg. Os tipos de lesão do menisco medial observados foram: tipo 1, 2, 3, 4, 6, 7 e associações dos tipos 1-4, 1-6 e 1-7. O tipo 1 foi o mais prevalente, sendo responsável por 32,5% dos casos. Não foram encontradas correlações entre a presença ou não de lesão de menisco medial e o tempo de ocorrência da RLCCr e entre o tipo de lesão de menisco medial e o tempo de RLCCr.

Texto completo