VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

Ação inibitória do endosperma na germinação in vitro de embrião zigótico de pinhão manso

Borges de Paiva Neto, Vespasianode Pieri Prando, FernandoAfraire Rodrigues, LennisCristina Rezende Zuffo, MonicaFerreira de Lima, Sebastião

A busca por protocolos de micropropagação de pinhão manso tem resultado em relatos sobre dificuldades na germinação in vitro de sementes recém colhidas. Nesse sentido, levantou-se a hipótese da dormência estar relacionada com a presença do endosperma. Objetivando investigar a influência do endosperma no desenvolvimento in vitro de embriões zigóticos de pinhão manso, extratos puros e filtrados de endosperma de sementes recém colhidas e armazenadas por 50 e 100 dias foram adicionados ao meio MS, no qual foram colocados embriões zigóticos isolados ou contendo endosperma. Foi possível observar que a presença do endosperma junto ao embrião exerce uma inibição à retomada do desenvolvimento do embrião. Ademais, a adição de extratos do endosperma no meio de cultivo reduziu sobremaneira o desenvolvimento dos embriões, evidenciando que além de provável inibição física, o endosperma pode contribuir com inibidores químicos no processo de germinação. Essas observações estão baseadas no perfeito desenvolvimento dos embriões, quando estes foram adicionados isolados ao meio MS, desprovido do extrato.

Texto completo