VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 338-344

CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS DO FUNÍCULO ESPERMÁTICO DE CAPRINOS COM ESCROTO BIPARTIDO E NÃO BIPARTIDO

Soares Nunes, AlineMendes Conde Júnior, AírtonSoares Ferraz, MaíraA. N. Machado Júnior, AntônioCristine Schroder, DeiseAcelina M. Carvalho, Maria

Estudou-se a morfologia do funículo espermático em caprinos com escroto bipartido e não bipartido. Foram formados três grupos de caprinos: I - escroto não bipartido; II - escroto bipartido até 50% do comprimento testicular; e III - escroto bipartido acima de 50% do comprimento testicular. O comprimento do funículo espermático, o músculo cremáster, o segmento da artéria testicular do funículo e histologia do funículo espermático foram avaliados. Em todos os grupos, a artéria testicular mostrou-se única (95%) ou dividida (5%), rodeada por veias sem válvulas e com diâmetros variados e irregulares. No grupo I, o tecido adiposo subcapsular envolvia as veias, fato não observado nos demais grupos. Nos grupos II e III, esse tecido apresentou-se em placas, circundando o funículo, tornando-se mais espesso próximo ao mesoducto, sugerindo isolamento térmico entre os vasos e o ducto deferente. Os caprinos do grupo III apresentaram maior comprimento do funículo (média=10,25cm) e da artéria testicular (média=152,80cm), em comparação com os grupos I (8,06 e 103,25 cm) e II (8,60 e 121,80 cm). Esse fato pode favorecer as trocas térmicas entre sangue arterial e venoso. O comprimento do músculo cremáster não diferiu estatisticamente (P>0,05) entre os grupos I (19,37cm), II (18,61cm) e III (20,06cm). Desse modo, concluiu-se que a bipartição escrotal proporciona variações no funículo espermático

Texto completo