VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

CONTROLE BIOLÓGICO DAS PRAGAS DA ESPIGA, SOBRE PARÂMETROS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS NA CULTURA DO MILHO DE SAFRINHA EM UBIRATÃ/PR

losCarlosCarlosCarlosCarlosRegina Magro, Sandra

As pragas que causam prejuízo na fase reprodutiva do milho são as lagartas da espiga (Helicoverpa zea) e do cartucho-do milho (Spodoptera frugiperda) que, através dos orifícios abertos na espigafacilitam a entrada de microrganismos causando grãos ardidos. Os grãos ardidos constituem-se numdos principais problemas de qualidade do milho, devido à possibilidade da presença de micotoxinas,tais como aflatoxinas (Aspergillus flavus e A. parasiticus), ocasionando perdas qualitativas dos grãospela desvalorização do produto e constituindo-se uma ameaça à saúde dos rebanhos e humana. Oobjetivo do trabalho foi avaliar a eficiência do controle biológico das pragas da espiga, na redução dopercentual de grãos ardidos na cultura do milho, utilizando-se o parasitóide Trichogramma pretiosum.A quantificação de incidência de grãos ardidos foi determinada pelo método de separação visual degrãos com sintomas de descoloração, causada por infecção por fungos na lavoura. A menorincidência de grãos ardidos ocorreu na área onde se utilizou controle biológico, atingindo umpercentual de 1,08% (2,73g), apresentando diferença significativa quando comparada com otratamento convencional, isto é, sem liberação de parasitoides teve um leve acréscimo no percentualde grãos ardidos elevando para 1,81% (4,52g).Palavras-Chave: Helicoverpa zea; Spodoptera frugiperda; controle biológico aplicado; Lagarta-da-espigaEVAL

Texto completo