VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 26-34

Análise de crescimento destrutiva de mudas de pinha fertirrigadas com diferentes doses de boro

Silva, Valéria Lima daOliveira, Alessandra Conceição deSilva, Weslian Vilanova daCabral Junior, Lucíula FerreiraDamasceno, Níbia Sales

Devido ao recente interesse comercial de mudas de (Annona squamosa L.) relacionados à qualidade e antecipação da época de transplante. O objetivo do trabalho foi verificar o efeito da aplicação de diferentes doses de boro (B) sobre a produção de mudas de pinha de acordo com as condições edafoclimáticas do estado de Mato Grosso. As informações sobre esta cultura para o estado de Mato Grosso ainda são escassas, o que remete à necessidade de mais pesquisas que possam estabelecer condições de adaptabilidade e que viabilizem a produção de tais mudas no Cerrado. Neste contexto, realizou-se um experimento para estudar o crescimento e a qualidade das mudas de pinha submetidas a diferentes doses de B. O experimento foi desenvolvido em um viveiro telado localizado nas dimensões do campo experimental da Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus de Nova Xavantina – MT. O delineamento experimental utilizado foi o em blocos ao acaso, com 5 tratamentos e 4 repetições. Os tratamentos foram constituídos em cinco doses de boro, sendo as doses equivalentes a: T1) (0 mg.dm-3 , T2) (0,25 mg.dm-3 ), T3) (0,5 mg.dm-3 ), T4) (0,75 mg.dm-3 ), T5) (1,0 mg.dm-3 ), arranjados em um esquema fatorial de (20x10). As mudas foram monitoradas semanalmente até o momento que foram transplantadas para o campo e a análise de crescimento foi realizada a partir do 21º até os 91º dias após a semeadura. Após 30 dias da semeadura foram avaliadas as seguintes características nas mudas: altura da parte aérea, número de folhas, diâmetro do caule. Para análise de produtividade foram adotados respectivamente critérios de avaliação como, matéria verde e seca (folhas, caule e raiz), quantificação do número de folhas que sofreram necrose foliar, comprimento do sistema radicular, número de folhas, diâmetro do caule e altura da parte aérea. Observou-se que a dose T2 e substrato 1 apresentaram melhor desenvolvimento mesmo com os sintomas aparentes de toxidade de B. Com o término do estudo pode-se concluir que a adubação bórica com diferentes doses, prejudicou o desenvolvimento das mudas de pinha, ocasionando necrose nas margens das folhas devido à fitotoxidade de boro e prolongamento do ciclo da cultura, fator esse que pode ser associado ao atraso na mudança de estádio fenológico referente ao fornecimento das doses crescentes de boro.(AU)

Texto completo