VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 639-656

Extração e cadeia produtiva do caranguejo-uçá no norte do Rio de Janeiro

Helena de Oliveira Côrtes, LauraAntunes Zappes, CamilahPaula Madeira Di Beneditto, Ana

O presente estudo descreve os métodos de extração e a cadeia produtiva do caranguejo-uçá (Ucides cordatus Linnaeus, 1763) nas comunidades de Atafona e Gargaú, que extraem o recurso do manguezal do estuário do rio Paraíba do Sul, Norte do Rio de Janeiro. Os dados foram obtidos entre março e outubro/2012 a partir de 66 entrevistas com catadores locais. A extração é realizada principalmente por mulheres de baixo nível de escolaridade, através dos métodos de braceamento, redinha e mão. Em geral, são extraídos diariamente entre 100 e 200 caranguejos-uçá/catador, com preferência por machos com largura de carapaça superior a 6,0 cm. A captura por unidade de esforço (CPUE) de cada catador em Atafona e Gargaú foi de 21,9 e 12,5 caranguejos-uçá hora-1, respectivamente. Em Atafona, a estrutura da cadeia produtiva é simples: catador (produtor) consumidor final. Em Gargaú, há maior número de catadores e a cadeia produtiva é formada por: catador (produtor) primeiro comprador (intermediário) segundo comprador (estabelecimento comercial) consumidor final. A renda mensal variou entre as estações do ano, com maiores valores no verão. Em Atafona, a renda estimada variou de R$ 680,00 a R$ 2.720,00, e em Gargaú de R$ 400,00 a R$ 1.600,00. Planos de co-manejo com a participação dos catadores e a criação de cooperativas para armazenamento e comércio da produção são medidas que podem mel

Texto completo