VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

Frequência de Staphylococcus aureus em casos de mastite bovina subclínica, na região Sul do Rio Grande do Sul

Bandeira, F.S.Picoli, T.Zani, J.L.da Silva, W.P.Fischer, G.

A mastite bovina é uma doença importante na exploração leiteira, não apenas pelas perdas econômicas diretas que promove, mas também pelas perdas indiretas e o potencial risco à saúde pública. Dentre as principais causas de infecções intramamárias, destacam-se as bactérias do gênero Staphylococcus spp., sendo que Staphylococcus aureus é o agente etiológico predominante em mastite subclínica. O objetivo desse trabalho foi verificar a frequência de mastite subclínica em oito rebanhos localizados na região Sul do Rio Grande do Sul (Brasil) e a relação da enfermidade com a presença de S. aureus. Adicionalmente, pesquisou-se a presença de S. intermedius e S. hyicus nas amostras de leite obtidas. Para identificação da doença, utilizou-se o California Mastitis Test (CMT). A identificação da espécie de Staphylococcus spp. foi feita em meio de cultura ágar Baird-Parker, com posterior confirmação das colônias suspeitas em coloração de gram, prova de catalase, pesquisa de coagulase livre e pesquisa de termonuclease. A mastite subclínica foi constatada em 53,6% dos animais testados. A presença de Staphylococcus coagulase positiva foi identificada em 12,6% dos animais com mastite subclínica. Nesses mesmos animais, a bactéria identificada como S. aureus foi o agente etiológico presente em 17,6% dos casos. Adicionalmente, pode-se perceber que, dentre o grupo identificado como coagulase positiva, 85,7% corresponderam a S. aureus, enquanto 8,5% mostraram características bioquímicas compatíveis com S. intermedius e 5,8% foram consideradas S. hyicus.

Texto completo