VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 7-12

Efeito do suplemento alimentar (cevas) na composição química do peixe selvagem Bryconfalcatus Müller & Troschel, 1844 na bacia do rio Teles Pires

Matos, Liliane StedileSilva, João Otávio dos SantosBeckmann, Marcos AlencarMoreira, Paula Sueli AndradeOliveira, André Soares deCarvalho, Lucélia Nobre

Atualmente, na bacia do rio Teles Pires, uma das técnicas mais utilizadas pelos pescadores para captura de peixes é a oferta de suplemento alimentar, popularmente conhecida como ceva. Objetivou-se comparar a composição química do filé de Brycon falcatus de locais com oferta de suplemento alimentar (cevas) e sem cevas. As coletas dos peixes foram mensais e as capturas foram em rio Tapaiúna sem cevas, rio Teles Pires com uma ceva/100 m, rio Celeste com uma ceva/500 m, rio Verde com uma ceva/1.000 m e rio Cristalino em Unidade de Conservação (controle). Após as capturas, os peixes foram eutanasiados e acondicionados em gelo, para determinação dos teores de umidade, cinzas, proteína bruta e gordura. Os filés dos peixes oriundos da área controle apresentaram o menor teor de proteína bruta (17,81%) que dos outros rios, que não diferiam entre si. Os filés dos peixes do rio com maior densidade de cevas (1/100 m) apresentaram maior teor de gordura (3,63%) que do rio em Unidade de Conservação (1,51%), mas não diferiram dos outros rios. As cevas de soja in natura alteraram a composição química dos filés de Brycon falcatus.(AU)

Texto completo