VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 429-437

Estrutura trófica de peixes em riacho de primeira ordem da bacia do rio Iguatemi, alto rio Paraná, Brasil

Lopes, Evaneide NogueiraAbelha, Milza Celi FedattoBatista-Silva, Valéria FláviaKashiwaqui, Elaine Antoniassi LuizBailly, Dayani

Este trabalho descreve a distribuição espacial de grupos tróficos de peixes do riacho Água Boa, MS, Brasil. Os espécimes foram coletados por meio de pesca elétrica nos trechos superior, intermediário e inferior do riacho, entre março e novembro de 2008. Foram analisados 415 conteúdos estomacais de 24 espécies, sendo detrito/sedimento e invertebrados aquáticos os recursos mais explorados pela ictiofauna. A análise de ordenação discriminou as espécies em seis grupos tróficos. Os invertívoros aquáticos foram os de maior riqueza (10 espécies), seguidos dos detritívoros (08 espécies), omnívoros (03 espécies), insetívoros terrestres (03 espécies), algívoros (02 espécies) e herbívoro (01 espécie). Três grupos tróficos ocorreram no trecho superior, seis no intermediário e cinco no inferior. As maiores contribuições em densidade foram de detritívoros, omnívoros e algívoros. Em biomassa, detritívoros e invertívoros aquáticos foram predominantes. Recursos autóctones foram particularmente importantes para a manutenção da ictiofauna estudada, especialmente invertebrados aquáticos, portanto, ações conservacionistas que reduzam a simplificação do hábitat pelo assoreamento e que recuperem a mata ciliar são essenciais para manter as populações de peixes do riacho Água Boa.(AU)

Texto completo