VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 457-464

Diferentes cepas de Staphylococcus aureus levam a diferentes padrões de resposta inflamatória em um modelo murino de infecção intradérmica

Santana, HugoFerreira, Lício Fábio Almeida AndradePereira, Ítalo SousaMarques, Lucas MirandaFigueiredo, Tiana BaqueiroSilva, Robson Amaro Augusto da

Infecções causadas por Staphylococcus aureus podem causar o desenvolvimento de lesões no tecido frouxo. Isto tem sido avaliado em estudos que avaliam a resposta imune em diferentes modelos animais. Além disso, a resposta inflamatória desenvolvida pelo hospedeiro frente à infecção por este patógeno tem sido analisada e neutrófilos têm sido associados com a resposta imune desenvolvida. Neste estudo, nosso objetivo foi comparar a resposta inflamatória desenvolvida pelo organismo hospedeiro induzida por uma infecção intradérmica com uma cepa de Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) ou uma cepa Staphylococcus aureus susceptível à meticilina (MSSA). A eutanásia dos camundongos ocorreu nos seguintes tempos: 6, 24, 48 e 96 horas de infecção; o número de células e a quantidade de citocinas foram avaliados. Nossos resultados mostraram que infecções por diferentes cepas de Staphylococcus aureus causam resposta imunológica com diferentes intensidades. Enquanto infecções por MRSA induzem maior recrutamento de neutrófilos para o sítio de infecção e maior resposta inflamatória no linfonodo, o aumento na produção de TNF-, IFN-, IL-6 e IL-1 no linfonodo 6 horas após a infecção foi observado somente nos animais infectados com MSSA. Considerando as análises, MSSA pode possuir mecanismos para prevenir o recrutamento de neutrófilos para o sítio de infecção.(AU)

Texto completo