VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 353-357

Duração e viabilidade das fases pré-imaginais de Chrysoperla externa (Hagen) alimentadas com Aphis gossypii Glover e Sitotroga cerealella (Olivier)

Ismael Félix Costa, RenildoCarlos Ecole, CarvalhoJanduí Soares, JoséPacelli Medeiros Macedo, Luciano

Estudou-se a duração e a viabilidade das fases imaturas de Chrysoperla externa (Hagen) (Neuroptera, Chrysopidae) alimentadas com o pulgão do algodoeiro, Aphis gossypii Glover (Homoptera, Aphididae), e com a traça do milho, Sitotroga cerealella (Olivier) (Lepidoptera: Gelechiidae). A pesquisa foi conduzida no Laboratório de Entomologia da Embrapa - CNPA, em Campina Grande, Paraíba, em 1998/99 em condições controladas sob temperatura de 25±2ºC, 70±10% UR e fotofase de 12 horas. O desenvolvimento pré-imaginal de C. externa decorreu normalmente: fase larval com três ínstares, pré-pupa e pupa. De acordo com os resultados, pode-se concluir que as larvas de C. externa alimentadas com A. gossypii apresentam uma duração significativamente maior para o primeiro e terceiro ínstares, que às alimentadas com S. cerealella. Entretanto, não há efeito dessas presas na viabilidade das fases desse predador, exceto para a de pré-pupa. C. externa pode ser criado em A. gossypii ou S. cerealella sem risco de perda de viabilidade, embora algumas fases possam ser mais longas.

Texto completo