VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 369-372

Lisina digestível em poedeiras semipesadas

Souza, Henrique Baltazar deFaria, Douglas Emygdio deCaetano, Vinicius CamargoSantos, Andréa Luciana dosAraújo, Raquel BighettiSakamoto, Márcia Izumi

Este estudo foi realizado para avaliar os efeitos de níveis de lisina digestível na dieta sobre as principais características de desempenho e qualidade dos ovos de no período da 25 a 41ª semanas de idade. Foram utilizadas 120 aves Hy-Line Brown, distribuídas em delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos e seis repetições de quatro aves cada, totalizando 30 parcelas experimentais. As dietas foram formuladas à base de milho e soja, isonutrientes e isocalóricas para todos os tratamentos, com variação apenas nos níveis de lisina digestível (0,70; 0,75; 0,80; 0,85 e 0,90%). Foram avaliados o consumo de ração, o consumo de lisina, o consumo de energia, a produção de ovos, o peso dos ovos, a massa de ovos e a conversão alimentar. A qualidade interna dos ovos foi avaliada através da unidade Haugh, porcentagem dos componentes gema e albúmen e a qualidade externa através da densidade aparente do ovo, espessura e porcentagem de casca. Conclui-se que os níiveis de 0,70% de lisina digestível na dieta ou quando o consumo médio diário de lisina digestível é de 708 mg ave-1 dia-1, no período de 25 a 41 semanas de idade para poedeiras Hy-Line Brown, é suficiente para que expressem todo o seu potencial genético.(AU)

Texto completo