VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 129-136

Relações luminosas e desempenho do capim-braquiária em sistema silvipastoril

Rodrigues, Cynara Oliveira DinizAraújo, Saulo Alberto do CarmoViana, Maria Celuta MachadoRocha, Norberto SilvaBraz, Thiago Gomes dos SantosVillela, Severino Delmar Junqueira

Objetivou-se avaliar a influência de diferentes arranjos espaciais de árvores ((3×2)×20 m,(2×2)×9 m e 9×2 m) e locais de amostragem (centro e lateral da entrelinha) na quantidade e qualidade de luz no sub-bosque de sistemas silvipastoris e seus efeitos na produção e composição bromatológica da pastagem. O delineamento utilizado foi blocos casualizados em parcelas subdivididas, com três repetições. O local de amostragem influenciou a irradiância absoluta, a radiação fotossinteticamente ativa incidente (RFAi), interceptação luminosa (IL) e relação vermelho/vermelho distante, sendo determinados maiores valores no centro das entrelinhas. Observou-se correlações altas e positivas entre IL/índice de área foliar (IAF), IL/produção de massa seca (PMS) e IAF/PMS no centro e IL/IAF e RFAi/PMS na lateral das entrelinhas. O arranjos espaciais (3×2)×20 m apresentaram maiores valores para altura da planta (AP), PMS e teor de fibra em detergente neutro, enquanto o (2×2)×9 m apresentou maiores valores para relação folha:colmo e teor de proteína bruta. Quanto ao local de amostragem, os maiores valores de AP e PMS foram observados no centro. A composição da forragem não foi influenciada pelos locais de amostragem. A maior PMS foi obtida no arranjo (3×2)×20 m e melhorias na composição da forragem foram observados nos arranjos mais adensados.(AU)

Texto completo