VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 113-117

Benzocaína e eugenol como anestésicos para piraputanga (Brycon hilarii)

Fabiani, Bruno MatucitaBoscolo, Wilson RogérioFeiden, AldiDiemer, OdairBittencourt, FábioNeu, Dacley Hertes

A utilização de produtos anestésicos durante práticas de manejo é frequentemente empregada, porém doses corretas de diferentes fármacos e para espécies distintas ainda estão em fases de pesquisa. O objetivo do estudo foi determinar a melhor concentração de benzocaína e eugenol para juvenis de piraputanga (B. hilarii).Foram utilizados 104 juvenis de piraputanga com peso médio de 50,04 ± 20,80 g e comprimento total médio de16,30 ± 12,32 cm adquiridos em uma piscicultura comercial localizada na região Oeste do Estado do Paraná. O trabalho foi conduzido no Laboratório de Aquicultura do Grupo de Estudos de Manejo na Aquicultura -GEMAq da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Os animais foram submetidos a cinco concentrações de benzocaína (50,0; 100,0; 150,0; 200,0 e 250,0 mg L^-1) e sete concentrações de eugenol (50,0; 100,0; 150,0; 200,0; 250,0; 300,0 e 350 mg L^-1), para a aferição dos tempos referentes à letargia. Para a recuperação, os animais foram mantidos em aquários livre do anestésico e observado o tempo em que retornaram às atividades normais. A melhor dose de benzocaína verificada foi de 100 mg L^-1, enquanto a melhor dose de eugenol foi entre 100 e 150 mg L^-1.(AU)

Texto completo