VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 385-391

Morfogênese e estrutura de azevém anual submetido a três intensidades de pastejo

Confortin, Anna Carolina CeratoQuadros, Fernando Luiz Ferreira deRocha, Marta Gomes daGlienke, Carine LiseteKuinchtner, Bruno Castro

Estudaram-se características morfogênicas e estruturais de azevém (Lolium multiflorum Lam.) sob intensidades de pastejo. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com quatro repetições (transectas) e três tratamentos constituídos por intensidades de pastejo: “Alta”, “Média”, “Baixa”, correspondentes ao desaparecimento de 61,0; 43,3 e 21,1% do valor da massa de forragem inicial, respectivamente. O pastejo foi intermitente, com borregas, e o intervalo entre pastejos correspondeu à soma térmica de 313 graus-dia. As intensidades de pastejo afetaram a morfogênese e estrutura de azevém apenas no primeiro período de avaliação, quando o azevém na intensidade “Média” apresentou as menores taxas de aparecimento e elongação foliar e os maiores valores de duração de vida das folhas. A altura do pseudocolmo, o comprimento de lâmina intacta e desfolhada, o número de folhas intactas e em senescência foram superiores na intensidade “Baixa”, sem diferir entre “Média” e “Alta”. A adoção das intensidades de pastejo de 43,3 e 61,0% do desaparecimento do valor da massa de forragem inicial possibilita estender o estádio vegetativo do azevém anual. Para o manejo de azevém anual, recomenda-se o uso da intensidade de pastejo de 61,0%, que apresenta características estruturais semelhantes às observadas na intensidade 43,3% e proporciona taxa de lotação 24,1% superior(AU)

Texto completo