VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 85-92

Avaliação do efeito do tempo de desossa sobre a qualidade da carnede peito de matrizes pesadas de descarte

Sanfelice, CristianeMendes, Ariel AntonioKomiyama, Claudia MarieCañizares, Marleide CostaRodrigues, LucianaCañizares, Gil Ignacio Lara

Este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito do tempo de desossa da carne de matrizes pesadas, para destinar esta carne ao possível consumo “in natura”. Portanto, foram coletados 80 peitos com osso em abatedouro comercial. No Laboratório de Qualidade de Carne da FMVZ/Unesp, Campus de Botucatu-SP, os peitos foram desossados nos tempos zero (imediatamente após o resfriamento), 4, 8 e 12h “post-mortem”, sendo utilizados 20 peitos por tratamento. Com 24h “post-mortem”, foram avaliados os parâmetros: pH, cor (L*, a* e b*), perda de peso por cocção (PPC), capacidade de retenção de água (CRA), força de cisalhamento (FC), índice de fragmentação miofibrilar (MFI) e estrutura morfológica da fibra muscular (diâmetro da fibra e número de fibras por campo). Os parâmetros cor (L*, a* e b*), perda de peso por cocção, capacidade de retenção de água, força de cisalhamento e diâmetro da fibra muscular apresentaram diferença estatística significativa (p ≤ 0,05) entre os tempos avaliados de desossa. A força de cisalhamento apresentou diferença significativa (p ≤ 0,05) para o tratamento zero (8,478), em relação aos tempos de desossa 4, 8 e 12h (5,154; 5,375 e 4,819, respectivamente). Deste modo foi observada melhora na maciez da carne com o tempo de desossa maior que 4h “post-mortem”.(AU)

Texto completo