VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 1-8

Salmonella Enteritidis formadoras de biofilmes são multirresistentes a antimicrobianos

Ferreira da Silva, CarlaSouza Gehlen, SaraWebber, BrunaNeukamp Diedrich, LuísaPilotto, FernandoRuschel dos Santos, LucianaCésar Tondo, EduardoPinheiro do Nascimento, VladimirBeatriz Rodrigues, Laura

Salmonella Enteritidis é frequentemente relacionada a surtos de origem alimentar associados ao consumo de carne de aves e ovos e prejuízos econômicos em vários países [17,26,27]. No Brasil, entre 2000 e 2013, Salmonella spp. foi o agente etiológico de 1522 surtos de DTA [1] e, nos Estados Unidos, juntamente com Campylobacter, originaram mais de 2,5 milhões de casos com milhares de internações e centenas de mortes [13,19].A formação de biofilmes por Salmonella em superfícies de contato com alimentos contribui para infecções alimentares e a contaminação dos alimentos pode ocorrer pelo controle inadequado das temperaturas de armazenagem e distribuição, falhas de boas práticas na manipulação ou contaminação cruzada, relacionada com a capacidade de adesão destas bactérias [5,20]. A escolha do sanitizante apropriado nas indústrias de alimentos é primordial para evitar a disseminação desta contaminação, sendo utilizado para reduzir o número de microrganismos alvo em superfícies de contato com alimentos [7].Na produção de frangos de corte são utilizados alguns antimicrobianos como promotores de crescimento adicionados à ração em doses contínuas e subterapêuticas, gerando uma pressão seletiva e bactérias resistentes [15,18]. A resistência antimicrobiana é o principal efeito colateral desta prática, selecionando bactérias resistentes, modificando a estrutura de comunidades bacterianas e

Texto completo