VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

p. 1-7

Pneumocystis spp. e Histoplasma capsulatum detectados em pulmões de morcegos das regiões Sul e Centro-Oeste do Brasil

Salomão Cury Veloso, SilvanaFerreiro, LaerteMissel Pacheco, SusiRenato Pinheiro da Silva, Robertode Conceição Souza, EuniceMachado, GustavoWissmann, GustavoSpanamberg, AndréiaMaria Cavallini Sanches, Edna

A Ordem Chiroptera é o segundo grupo de mamíferos com 1.120 espécies, das quais 167 (e 64 gêneros) no Brasil [23]. Os morcegos considerados importantes vetores de Paracoccidioides brasiliensis, Cryptococcus neoformans [12,17,28], Pneumocystis spp. [1,4,5,11,25] e Histoplasma capsulatum [9,10,11], contribuem para manutenção desses patógenos no ambiente e, consequentemente, sua transmissão [27]. O H. capsulatum é encontrado preferencialmente em áreas geográficas de clima tropical e subtropical, além de alguns países da Europa [29]. A histoplasmose é uma micose frequentemente diagnosticada em humanos no Brasil e responsável por 4,3% mortalidade causada por micoses sistêmicas em uma década (1996-2006) no Brasil, taxa que aumenta para 10,1 quando associada com a AIDS [21]. Em animais, as características da transmissão e infecção por H. capsulatum são similares ao que acontece em humanos. Particularmente em morcegos, a maioria ocorre em fêmeas, as quais permanecem maior tempo nas colônias com sua prole [8,13]. O Pneumocystis spp. é um fungo oportunista, principalmente transmitido por via aérea e responsável por severa pneumonia em grande número de mamíferos [1,22]. Nos quirópteros tem sido evidenciado sua presença em diversos países como México, França, Argentina e Brasil [1,4,5,9]. A coinfecção do Pneumocystis spp. e Histoplasma capsulatum foi recentemente avaliada em algumas espéci

Texto completo