VETINDEX

Periódicos Brasileiros em Medicina Veterinária e Zootecnia

Sexual dimorphism in the electric knifefish, Gymnorhamphichthys rondoni (Rhamphichthyidae: Gymnotiformes)

GARCIA, Elisa QueirozZUANON, Jansen

RESUMO Dimorfismo sexual é caracterizado por diferenças entre machos e fêmeas de uma espécie. Pode estar presente em qualquer ser vivo dioico que se reproduza sexualmente, inclusive peixes. Analisamos 63 fêmeas e 63 machos adultos de Gymnorhamphichthys rondoni (Gymnotiformes) coletados por nós ou obtidos em coleções. O sexo foi determinado por dissecção abdominal. Medimos o comprimento do focinho até o final da origem da nadadeira anal, comprimento da nadadeira anal, distância da papila genital até a origem da nadadeira anal, distância do ânus até a origem da nadadeira anal, altura do corpo e comprimento da cabeça. Dados morfométricos submetidos a uma Análise de Componentes Principais (PCA) agruparam machos e fêmeas de G. rondoni em função de variáveis relacionadas ao tamanho do corpo ao longo do primeiro componente, ao comprimento da cabeça e à altura do corpo ao longo do segundo e terceiro componentes. Fêmeas foram maiores que os machos, enquanto machos tiveram a cabeça proporcionalmente maior e o corpo mais alto que as fêmeas. A papila urogenital de machos e fêmeas diferiu no formato, tamanho e posição relativa no corpo. A papila das fêmeas foi alongada horizontalmente, maior que a dos machos e localizada na linha vertical abaixo do olho, enquanto que a papila dos machos foi alongada verticalmente e localizada na linha vertical abaixo do opérculo. Até onde sabemos, esse é o primeiro caso registrado de dimorfismo sexual em uma espécie de Rhamphichthyidae, uma condição que é agora conhecida para todas as famílias atualmente reconhecidas de Gymnotiformes.

Texto completo